254 321 500 geral@acir.pt 🕑 Seg. - Sex: 9:00 - 16:30

História/Apresentação

A ACIR – Associação Comercial e Industrial dos Concelhos do Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio foi fundada em 06 de Março de 1874, com a insígnia de Associação Comercial de Peso da Régua tendo a sua primeira sede que conta com mais de 135 anos de existência, a trabalhar em prol dos empresários em particular e da comunidade em geral. Estava assim criado um mecanismo de encontro e debate de ideias e ideais, de troca de experiências e pareceres, de defesa dos comerciantes e da economia regional.

Este espírito associativo também passou por algumas vicissitudes, sendo uma das primeiras sentida logo após dois anos da sua fundação (1876), pelo reconhecimento da incompatibilidade entre poder associativo e polí­tico, seguindo-se-lhe um período de letargia total que duraria cerca de 35 anos. Após este lapso de tempo, a ACIR foi novamente impulsionada por um conjunto de comerciantes proactivos que viram na Associação uma forma de defender os seus interesses, não podendo deixar de ressuscitar o gosto associativo que outrora já se tinha criado na cidade do Peso da Régua. Foi então nomeada uma nova Comissão com o objetivo de elaborar novos estatutos.

Seguiram-se diversas Direções que fizeram valer os interesses da ACIR e dos seus Associados. A dinâmica das diversas Direções permitiram desenvolver um conjunto de atividades, não são de âmbito associativo como também de âmbito recreativo e cultural, implicando um fortalecimento, importância e dignificação da mesma.

Mas, mais uma vez, a Alma associativa volta a dissipar-se por motivos políticos e passa a existir divergência entre os Diretores e Associados, o que leva a um novo período de total estagnação e impasse, ficando neste estado durante anos.

São em 1938, quando a atual Associação ao transformado, pelo Decreto-Lei n.º 29 232, de 08 de Dezembro, em Grémio do Comércio de Peso da Régua ao que efetivamente lhe é impresso um novo ímpeto de desenvolvimento. Assim a 13 de Dezembro de 1942, fruto da sua cada vez maior importância e destaque na região, o Grémio do Comércio de Peso da Régua passa a incluir os concelhos limítrofes  de Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio, de acordo com a deliberarão da Assembleia-Geral Extraordinária daquela data.

As Direções do Grémio foram-se sucedendo e estas sempre se debateram pela prossecução de objetivos essenciais, traduzidos numa área fundamental, a prosperidade do comércio.

Entre 1965 e 1969, o então Grémio encontrou-se sem Direcção. Em 1969 é finalmente eleito um novo corpo directivo, que, embora passando por um período conturbado, nomeadamente no que concerne à situação em que encontraram a instituição, mantiveram-se em funções até 1972, com o apoio dos Associados, ano em que é realizado novo sufrágio.

Em 1974, com o 25 de Abril, foi necessário transformar o então Grémio em Associação, estabelecendo assim o novo quadro estatutário. Assim procede-se à reconversão, de acordo com o Decreto-Lei n.º 293/75 de 16 de Junho, em Associação Patronal, sujeita à disciplina do Decreto-Lei n.º 215-C/75 de 30 de Abril.

A vida associativa continuou com naturalidade ao longo dos anos, com a consequente renovação de equipas a zelar pelos interesses da Associação e Associados.

A Direcção em exercício, que mediou o período de 1986 a 1994, ainda que com alteração da sua estrutura pessoal, levou a efeito um conjunto de acções ímpares até então na ACIR, sendo de destacar:

A criação de um Boletim Informativo com periodicidade mensal (início em 1988); A realização do Conselho Geral da Federação do Comércio Retalhista Português (1989); Levou a efeito um conjunto de acções de formação de relevo, quer para activos ao serviço dos Associados, quer para desempregados;

Em 1994 tomou posse uma nova Direcção que deu outro fôlego à vida associativa, continuando com o excelente trabalho desenvolvido até então, introduzindo mesmo conceitos inovadores. Grande parte dos então membros da Direcção continua ainda a dirigir os destinos desta Associação Comercial e Industrial, sendo de destacar os seguintes:

  • Reestruturação da Secretaria e informatização dos serviços;
  • Angariação de novos Associados;
  • Implantação do Gabinete Técnico de Apoio (GTA); Um gabinete de apoio técnico especializado ao dispor dos Associados, tendo em vista colmatar as respectivas necessidades;
  • Realização da Festa da Vindimas em 1995 e 1996, entre muitos outros
  • Execução, em parceria, do PROCOM / URBCOM

Já em 2006, com um novo ímpeto, são eleitos novos órgãos Sociais, que se empenharam em continuar a desenvolver a ACIR de uma forma sustentada, mas também ousada e inovadora. Esta Direção, no seu mandato, foi responsável pelo desenvolvimento de diversos projetos de dinamização comercial (centrados nas áreas urbanas de intervenção), na qualidade de promotora, mas também pelo apoio a diversas projetos de investimento, sobretudo centrados na medida de apoio Modcom (Modernização do Comércio)/Comércio Investe. Foi neste mandato (mais precisamente no ano 2007) que a ACIR passou a ter, pela primeira vez, presença na internet com o seu sítio, www.acir.pt.

Em 2009 nova equipa abraça o projeto ACIR, tendo conseguido, num período de extrema adversidade macroeconómica, manter o nível de serviços prestados e o conjunto de projetos previsto, tendo executado o maior volume de formação profissional de sempre da ACIR, dedicada a ativos empregados, cujos beneficiários finais foram os seus Associados e respetivos colaboradores.

O ano de 2014 marca a passagem de testemunho para novos Órgãos Sociais e, consequentemente para uma nova Direção, cuja liderança se mantém até à presente data. Tem sido um período de extrema exigência, dado que Portugal tem estado com enormes constrangimentos financeiros, levando a que a atividade económica e alguns investimentos programados tivessem de ser reestruturados. No entanto, a Direção da ACIR em exercício continuou o nível de serviços prestados e o apoio permanente aos seus Associados. Entre outros projetos, concebeu um Diagnóstico de desenvolvimento estratégico, lançou a Associação na rede social Facebook (que hoje representa um meio privilegiado de comunicação com os seus Associados e